4 de junho: dia internacional de combate à agressão infantil - Agora Já -

4 de junho: dia internacional de combate à agressão infantil

Foto: Ilustração
4 de junho de 2020

Em 04 de junho de 1982 a ONU determinou esta data como o Dia Mundial de Combate à Agressão Infantil, e principalmente por dedicar tanto dos meus estudos e pesquisa ao campo da psicologia infantil, pois tenho nela uma paixão enorme, convoco aqui uma reflexão.

Seria clichê da minha parte especificar aqui as diversas formas de agressão que uma criança pode ser submetida, apesar de considerar que informação nunca é demais e é fundamental nomearmos cada uma delas. Mas vou me dedicar a escrever sobre um tipo específico, e apesar de não existir uma escala normativa que nos diga qual delas é a pior, considero esta em específico muito perigosa.

Gostaria de falar sobre a negligência. Se fizermos uma pesquisa bem rápida, podemos chegar ao entendimento de negligência como falta de cuidado; de atenção. E de fato, é assim, bem simples. Falta de olhar, de amparo, falta talvez de capacidade deste cuidador colocar-se no lugar de uma pessoa tão pequena, tão frágil e que esta em formação.

Vejam bem, quando estamos na escola ou na faculdade, necessitamos de profissionais que vão nos auxiliar a aprimorar a nossa formação. Dentro de um ambiente familiar, os cuidadores, responsáveis por essa criança, assumem este papel, de “profissionais” que tem como obrigação oferecer todos os recursos necessários para que essa criança tenha uma formação plena, saudável, com doses de afeto, limite, cuidado e atenção.

Ainda assim, é dever de todos nós cuidarmos e zelarmos por essas crianças, sejam as nossas, as da vizinha ou os coleguinhas de escola. Ver, presenciar, escutar ou até mesmo suspeitar de situações de agressão, seja esta qual for, que uma criança possa estar submetida faz de nós responsáveis por perguntar, questionar e se necessário denunciar.

Em uma data tão simbólica como a de hoje, temos uma notícia tão triste circulando. Que é uma criança de 5 anos, que por desleixo, desatenção, preguiça, ou seja qual for o nome que cada um optar, caiu. Caiu do 9º andar de um prédio. É muito triste pensar que esta vida foi interrompida, tão cedo.

Convoco aqui a importância de falarmos sobre o assunto, de refletirmos sobre o nosso papel na sociedade e de problematizarmos situações como esta. Não se trata de ser apenas mais uma hashtag do dia, mas de um posicionamento que devemos ter todos os dias das nossas vidas.

 

*Valéria Paludo Bressan – Psicóloga CRP 07/25187


(55) 3375-8899, (55) 99118-5145, (55) 99119-9065

Entre em contato conosco

    Copyright 2017 ® Agora Já - Todos os direitos reservados
    error: Conteúdo protegido! Cópia proibida.