Ação integrada da polícia resulta em 15 prisões e apreensões de armas, munições, veículo e um drone - Agora Já -

Ação integrada da polícia resulta em 15 prisões e apreensões de armas, munições, veículo e um drone



Operação La Catedral foi desencadeada neste domingo desde a madrugada em Cruz Alta

Foto:
18 de fevereiro de 2018

Em uma ação espetacular realizada desde a madrugada deste domingo(18) em Cruz Alta, nos Bairros Progresso e Núcleo Residencial Santa Bárbara, as Polícias Civil, Brigada Militar e SUSEPE foram cumpridos 31 mandados de Busca e Apreensão e presas 15 pessoas e apreendidas armas, munições, objetos, um veículo e até um drone.

 

A ação denominada “Operação La Catedral” contou com a participação de 120 policiais entre civis e militares e ainda agentes penitenciários, 40 viaturas com apoio aéreo de um Helicóptero. A remoção dos presos para presídios da região foi procedida pela SUSEPE. Foram presos 12 homens e 3 mulheres. Na mesma ação foram apreendidas 7 armas de fogo, munições de diversos calibres, uma pistola 9mm e munições, de uso restrito de órgãos de segurança pública, uma motocicleta em ocorrência de furto, um drone e diversos objetos de origem não determinada.

 

A “Operação La Catedral” é o resultado de investigações dos departamentos de inteligência da polícia originadas desde a ocorrência de uma série de ameaças contra agentes penitenciários, após transferências de presos em virtude do conflito travado entre grupos antagônicos pelo controle do Presídio Estadual de Cruz Alta.

 

Fato conexo:

Relembrando o fato ocorrido em 13 de fevereiro no interior da casa prisional em Cruz Alta, quando os grupos rivais locais(grupos formados por indivíduos de Cruz Alta) se enfrentaram tendo resultado em um morto e dois feridos. Em decorrência deste fato 14 presos foram transferidos, inclusive àqueles diretamente envolvidos no fatídico episódio.

 

Desde então agentes penitenciários passaram a receber ameaças de morte através de telefonemas e, também, usando pessoas. Na semana passada um veículo chegou a parar em frente o presídio durante a madrugada e, tripulantes gritaram do interior do mesmo “os agentes vão morrer”, segundo relatório da própria polícia. A conclusão das investigações detectou uma ameaça, principalmente, a um casal de agentes penitenciário e suas respectivas famílias.

 

Com deferência da justiça a polícia chegou a prender cerca de 10 pessoas após as ameaças. Os agressores virtuais seriam elementos diretamente ligados à detentos, os quais ficaram descontentes com o impedimento da transferência de dois presos que estão em outros presídios.

Em razão destes fatos novos a Delegacia Regional de Polícia de Cruz Alta, entendeu que a ação deveria ser adiantada, como forma de estancar a onda de ameaças e reprimir a ação dos criminosos envolvidos na disputa e principais responsáveis pela arquitetura de ações criminosas que tinham como alvo, agentes de segurança.

 

Tumulto em frente a Delegacia de Polícia

Após a prisão, na medida em que os presos eram levados para a Delegacia de Polícia de Cruz Alta, um grupelho composto por familiares e comparsas dos mesmos,se dirigiram a frente da DP, onde passaram a realizar ameaças veladas contra os policiais, dizendo que iriam invadir, mas isso não passou de escaramuça, o episódio requereu uma ação forte por parte da polícia que realizou uma revista nos indivíduos, obrigando-os a se dispersarem. O dia não foi dos marginais que “perderam”em todas as investidas criminosas. Os indivíduos envolvidos na tentativa de ação criminosa ainda serão alvo de monitoramento e, caso venham surgir novos fatos poderão ter o mesmo destino de seus comparsas. Em uma manifestação enérgica a Delegada titular da 5ª Regional de Polícia do Estado, Dra.Caroline Bamberg Machado, deixou claro que “em Cruz Alta, estes grupelhos não irão se criar”.

 

Apoio da Comunidade:

A Delegada Chefe da 5ª Delegacia Regional de Polícia com sede em  Cruz Alta, Caroline Bamberg Machado, conclamou a população para que colabore com os órgãos de segurança pública, fornecendo informes sobre ações criminosas. É necessário que a população entenda que segurança pública também é responsabilidade do cidadão. Segurança Pública não se faz só com polícia, segurança pública se faz com a participação de todos, a participação da comunidade é essencial a policia não faz nada sem a participação da sociedade. A Delgada Caroline Bamberg Machado ressalta que se percebe que por vezes a comunidade poderiaajudar muito mais, ativa e não tão omissa, e não querem se envolver ou que não querem aparecer. Não precisa aparecer, tem denúncia anônima, têm vários telefones, têm vários whatsapps, tem o 190, tem o 197, tem o 180, tem 181 que dá direto em Brasília, então meios têm as pessoas têm que querer participar um pouco mais e agir um pouco mais para que tenhamos uma comunidade mais segura.

 

 

Com informações do Departamento de Comunicação Social do 16º BPM/Brigada Militar-RS.

Fotos: 3º Sgt Fabrício/BM – Imagens aéreas: Inspetor Gelson

 


(55) 3375-8899, (55) 99118-5145, (55) 99119-9065

Entre em contato conosco

Copyright 2017 ® Agora Já - Todos os direitos reservados
error: Conteúdo protegido! Cópia proibida.