Após onda da violência, RS registra queda de 11,6% nos homicídios e de 35,7% nos feminicídios em abril - Agora Já -

Após onda da violência, RS registra queda de 11,6% nos homicídios e de 35,7% nos feminicídios em abril



Número de vítimas caiu de 129, em abril de 2021, para 114 neste ano. Entre os assassinatos por motivo de gênero, a baixa nas ocorrências é de nove para cinco.

Foto: Grégori Bertó/SSP
12 de maio de 2022

O mês de abril terminou com tendência de queda nos homicídios no Rio Grande do Sul. Dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP) apontam que o número de vítimas caiu 11,6%, de 129 em abril de 2021 para 114 no mesmo mês deste ano. Também houve queda de 35% nos feminicídios.

Na soma de janeiro a abril, o estado também registra queda nos assassinatos, de 564 no ano passado para 544 (-3,5%). O secretário de segurança, coronel Vanius Cesar Santarosa, afirma que as quedas são resultados das ações implementadas ao longo do mês, logo após um onda de crimes em março.

“Elas foram realmente efetivas”, diz.

Entre os 23 municípios priorizados para monitoramento intensivo pela Gestão de Estatística em Segurança (GESeg), nove encerraram o mês sem nenhum assassinato – Cachoeirinha, Esteio, Gravataí, Guaíba, Ijuí, Lajeado, Novo Hamburgo, Pelotas e Viamão. Além disso, 16 cidades tiveram queda ou estabilidade no número de assassinatos em abril na comparação com o mesmo período no ano passado.

Em Porto Alegre, o mês fechou com uma vítima de homicídio a mais em relação ao mesmo mês do ano anterior, passando de 24 para 25 (+4,2%). Conforme a SSP, a Brigada Militar ampliou o policiamento ostensivo, com reforço de mais de uma centena de policiais, e a Polícia Civil intensificou as investigações e executou operações. A ofensiva, segundo o estado, resultou na identificação de mais 50 pessoas com envolvimento nos atentados entre os grupos rivais e cerca de 40 prisões.

Desde janeiro, a Capital soma 100 assassinatos, oito a mais que no mesmo período de 2021 (8,7%).

Feminicídios

Os feminicídios voltaram a cair em abril, após três meses em alta. Houve nove vítimas de assassinatos por motivo de gênero no estado, cinco a menos que as 14 de abril do ano passado, o que representa baixa de 35,7%.

No acumulado desde janeiro, o RS contabiliza duas vítimas a mais que no mesmo período de 2021, passando de 34 para 36.

A secretaria destaca que, das nove vítimas registradas em abril, apenas uma contava com medida protetiva de urgência vigente.

Entre os outros indicadores de violência contra a mulher monitorados pela SSP, houve diminuição de 12,7% nos registros de ameaça, com 332 casos a menos. As tentativas de feminícidio tiveram dois casos a mais que no mesmo mês de 2021, mas apresentam retração de 22,4% no acumulado de janeiro a abril, passando de 98 ocorrências no ano passado para 76 neste ano.

Denúncias podem ser feitas pelo 190 da BM para situações de urgência, o Disque-Denúncia 181 e o Denúncia Digital 181. A PC disponibiliza ainda o WhatsApp (51) 98444-0606 para a comunicação de suspeita de abuso.

Latrocínios tem alta de 100% em abril

O número de roubos com morte em abril passou de três, em 2021, para seis neste ano, um aumento de 100%. Comparado com o dado de 2018, antes da implantação do Programa RS Seguro, quando o estado teve 14 latrocínios em abril, a marca deste ano representa retração de 57,1%.

Apesar da elevação em abril, o acumulado de latrocínios desde janeiro se mantém na menor soma desde o início da série histórica, em 2002. Foram 20 casos em todo o estado nos primeiros quatro meses deste ano, um a menos que no mesmo período de 2021.

A secretaria destaca que o índice de resolução desse tipo de delito está entre 80% e 90%. Em abril, dos seis casos registrados, cinco já estão elucidados e com suspeitos presos.

Na Capital, houve um roubo com morte em abril, número igual ao do mesmo mês em 2021. Na comparação das somas desde janeiro, Porto Alegre contabiliza dois latrocínios neste ano frente a seis ocorridos em igual período do ano passado, o que representa queda de 66,7%.

Crimes contra o patrimônio

Entre os principais crimes contra o patrimônio, o roubo de veículos teve nova queda recorde em abril. Foram 328 casos em todo o estado, 23% menos que os 426 registrados no mesmo mês em 2021 – o dado atual é o menor já contabilizado desde o início da série histórica para o mês, em 2002.

No acumulado, houve redução de 20,9% em relação ao período de janeiro a abril do ano passado, com queda de 1.936 ocorrências para 1.532. Entre as 404 ocorrências reduzidas no primeiro quadrimestre de 2022 em relação ao mesmo período do ano anterior, o grupo de 23 municípios priorizados respondeu pela diminuição de 354, o que equivale a 87,6% do total.

A Capital puxou quase metade da retração nos roubos de veículos no acumulado de janeiro a abril em todo o Rio Grande do Sul. Frente a igual período do ano passado, Porto Alegre teve 170 ocorrências a menos, baixando de 786 para 616, queda de 21,6% para o menor total contabilizado desde 2010.

Outro crime relacionado ao tráfego urbano e que apresentou redução em abril foi o roubo a transporte coletivo. Em todo o estado, houve 47 ocorrências, menos que a metade (53%) dos 100 casos registrados no mesmo mês do ano passado. A marca em 2022 é também a menor de toda a série de contabilização, iniciada há uma década.

Desde janeiro, o RS soma 233 roubos no conjunto de delitos contra passageiros e motoristas de ônibus e lotações. Esse total, além de ser também o menor já verificado para o período, ficou 45,3% abaixo dos 426 casos registrados entre janeiro e abril do ano passado.

Ataques a banco e os furtos de gado (abigeatos) também tiveram queda verificada em abril. Em ambos os casos, na comparação com o mesmo mês de 2021, foi de 28%.

As ações contra instituições financeiras no RS baixaram de sete para cinco (quatro furtos e um roubo), enquanto os furtos de gado caíram de 468 para 333 (a menor da série histórica de abigeatos para o mês, iniciada há uma década).

Desde janeiro, o RS teve 11 ataques a banco, 50% menos que os 22 do mesmo período no ano passado. Em igual comparação, o número de abigeatos baixou de 1.563 para 1.413, uma retração de 9,6%.

*Fonte: G1/RS


(55) 3375-8899, (55) 99118-5145, (55) 99119-9065

Entre em contato conosco

    Copyright 2017 ® Agora Já - Todos os direitos reservados
    error: Conteúdo protegido! Cópia proibida.