Atendimento Psicológico Domiciliar - Agora Já -

Atendimento Psicológico Domiciliar



Como funciona? Quando ele é necessário?

24 de outubro de 2017

Atendendo uma demanda crescente o atendimento psicológico domiciliar pode ser definido como uma modalidade de serviço prestado por psicólogo (a) especializado no qual o atendimento é realizado no domicilio do paciente.

Esta importante modalidade de atendimento que se dispõe a atender pessoas impossibilitadas de se dirigirem ao consultório possui alguma especificidades. Destina-se a pessoas que apresentam por exemplo dificuldades ou impedimentos de locomoção, devido a patologias ou outros motivos que as impedem de se dirigir ao consultório para receber tratamento, tais como: acamados, gestantes de risco, pacientes oncológicos. Pode ser realizado, ainda, com pacientes que apresentam questões psicológicas que lhe impeçam de deslocar-se como, por exemplo: timidez excessiva, síndrome do pânico, fobias graves, dentre outras dificuldades.

Além das situações citadas acima, o atendimento domiciliar realizado pela (o) psicóloga (o) pode ocorrer também em outros casos como, por exemplo: quando o psicólogo atua em avaliações psicológicas no âmbito das instituições judiciárias como perito; quando o atendimento faz parte de programas de saúde da família através das visitas domiciliares; e ainda quando se trata de uma estratégia específica de intervenção psicológica para algum caso em particular. Em todos os casos é importante que haja expressão da vontade da pessoa atendida para melhor resultado da intervenção.

Ao atendermos o paciente domiciliarmente, é necessário que não ocorra interferência da família a todo momento, interrupções de telefone, campainha e visitas durante o atendimento. É importante que a família que habita o domicilio esteja ciente e de acordo a realização do atendimento domiciliar, para que haja na casa um local apropriado com acústica adequada que possa proporcionar privacidade entre o psicólogo e o paciente, como por exemplo, um quarto ou sala em que possa ser resguardado o sigilo do atendimento.

A necessidade desta modalidade de atendimento pode surgir através de um médico que sugira à família o acompanhamento psicológico do paciente, como quando o próprio paciente pede ajuda profissional ao psicólogo, ou ainda, quando a família percebe, frente ao estado de saúde do paciente, que seria importante o acompanhamento psicológico domiciliar. Em todos os casos caberá ao profissional psicólogo avaliar frente à demanda a real necessidade e adequação de cada caso. Quanto a duração do atendimento, em geral não há diferença em relação ao atendimento realizado em outro setting, como o consultório. No entanto, pode variar de acordo com a necessidade de cada caso.

Estudos têm demonstrado eficácia do atendimento domiciliar do ponto de vista do bem estar emocional do paciente. O acompanhamento psicológico será primordial, principalmente em momentos conturbados da vida em que há condições que estão impossibilitando a locomoção do paciente, nestes momentos o lado emocional também precisará ser prioridade. O importante é sempre fortalecer o paciente que passa por esse processo, através de um espaço seguro para falar de suas angústias e encontrar modos de vida em meio à situação de adoecimento.

Você: Familiar, amigo ou paciente. Se sentir necessidade deste atendimento não hesite. Converse com um psicólogo(a) e agende um atendimento!

 

Ciana Dill

Psicóloga | CRP 07/23963

Psicóloga de crianças, adolescentes e adultos

Especialista em problemas do desenvolvimento na infância e adolescência | Formação em processos do luto e da perda

Fone (55) 99968-0733 | WhatsApp (55) 99161-7086

Rua Alfredo Brenner, nº 435 – Centro – Panambi/RS (em frente ao CEP)


Rua Barão do Rio Branco, 1012, sala 205 - Centro - Panambi - RS (55) 3375-8899, (55) 99118-5145, (55) 99119-9065

Entre em contato conosco

Copyright 2017 ® Agora Já - Todos os direitos reservados