Como conhecer 10 países em 5 meses - Agora Já -

Como conhecer 10 países em 5 meses

4 de março de 2018

Viajar sempre traz novas experiências, ainda mais quando é possível conciliar viagens com os estudos na universidade. Pois bem, em um semestre letivo normalmente não sobraria muito tempo para viagens, não é? Então, como conhecer 10 países em 5 meses? Seria necessário viajar pelo menos metade dos finais de semana e utilizar todos os feriados possíveis.

Evidentemente, tudo na vida depende do tempo que você dedica para que algo aconteça. Algumas pessoas preferem ficar em casa, outras vão ao parque e algumas, por sua vez, viajam. Cada um com os seus interesses. Além disso, cada cultura enxerga a vida de uma maneira. Na Europa, geralmente, a época de estudos na universidade, até o nível acadêmico do mestrado, é uma época de viagens, intercâmbio cultural e muito estudo. Essa é a visão da maioria dos países europeus.

Ainda, cabe ressaltar que em alguns cursos os alunos são obrigados a estudar por três anos, concluir o bacharel, trabalhar por mais um tempo, um ou dois anos, e após este tempo, voltar e terminar o master (mestrado), para que aí sim recebam o diploma na área pretendida. O que isso significa? Significa que cada etapa da vida é respeitada como deve ser, em sua plenitude. Não é como no Brasil, que nossa realidade é trabalhar para poder pagar os estudos. Na Europa, os estudos até o mestrado são, em regra, gratuitos, não havendo diferença de qualidade entre as universidades privadas e públicas.

Por isso, os alunos possuem tempo para viagens, muito embora, as aulas exijam muito do aluno fora da sala de aula. Em alguns casos, não é possível ter sequer uma falta nas matérias. A cobrança é maior, pois a concorrência é muito grande. Nesse sentido, ainda que se queira viajar, não é possível descuidar dos estudos.

No meu caso, no primeiro semestre, de cada cinco finais de semana, três certamente foram viajando. É preciso muito fôlego para aguentar as adversidades de lugares que você nem sequer conhece. Afinal, não vai ser em todo país dito “desenvolvido” que você vai ser ajudado no meio da madrugada, quando precisar achar o seu hostel (fui ajudado na Grécia, um povo muito acolhedor). Normalmente, em países mais tropicais as pessoas são mais acolhedoras e atenciosas, algo que poucos imaginam, não é? Bom, essas foram as constatações depois de viajar na Europa de leste a oeste e de norte a sul.

A Europa é formada por 46 países mais 10 territórios independentes. Então, imaginem a Europa sendo um pouco maior que o Brasil, porém com todos esses países. Tudo é muito perto. Muitos países ainda mantêm suas moedas e não utilizam o Euro, o que facilita para economizar na viagem.

Para se ter ideia, utilizando algumas companhias de baixo custo, é possível pegar um avião por R$40,00 e ir da Polônia para a Suécia, Inglaterra, Eslováquia, Itália, Ucrânia, etc. Em algumas situações, também é possível pagar algo em torno de R$30,00 a R$40,00 por uma noite em um hostel, com café da manhã.

Para os destinos mais longes, podes ter um custo um pouco maior, contudo, ainda assim, o valor é proporcional. Já pensou atravessar a Europa em um avião por R$160,00? Tudo isso acontece porque existe infraestrutura, desde trens, ônibus, aviões, vans, entre outros meios de transporte. Foi assim que tive a oportunidade de viajar em dez países nos últimos cinco meses. Com planejamento e acessibilidade.

 


Rua Barão do Rio Branco, 1012, sala 205 - Centro - Panambi - RS (55) 3375-8899, (55) 99118-5145, (55) 99119-9065

Entre em contato conosco

Copyright 2017 ® Agora Já - Todos os direitos reservados