Delegado que investiga Milton Ribeiro é transferido de setor - Agora Já -

Delegado que investiga Milton Ribeiro é transferido de setor



Polícia Federal diz que mudança foi solicitada pelo servidor, mas ele segue atuando no inquérito que apura suposta corrupção no MEC

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil
28 de junho de 2022

O delegado da Polícia Federal, Bruno Calandrini, que conduz a investigação sobre suposta corrupção por parte do ex-ministro da Educação Milton Ribeiro, será transferido de setor. Calandrini deixará a Coordenação de Inquéritos (Cinq), que atua nas investigações de políticos com foro, e será lotado na Unidade Especial de Investigação de Crimes Cibernéticos. Milton Ribeiro é suspeito de envolvimento em um esquema de tráfico de influência e corrupção no Ministério da Educação.

De acordo com comunicado da Polícia Federal, a transferência ocorre a pedido do próprio delegado. O desejo de mudar de setor teria sido manifestado em maio deste ano. “Após tratativas iniciadas ainda no mês de maio do corrente ano, no dia 15 de junho de 2022 houve a movimentação formal do DPF Calandrini para a DRCC/CGFAZ/DICOR/PF, onde irá coordenar a Unidade Especial de Investigação de Crimes Cibernéticos – UEICC presidindo trabalhos investigativos sensíveis daquela unidade”, informou a corporação.

Ainda segundo a PF, Calandrini continuará presidindo o inquérito que investiga o suposto esquema de corrupção no Ministério da Educação. “O próprio servidor manifestou interesse (ainda no mês de maio) em ser transeferido para a nova unidade, para onde irá apenas no mês de julho, permanecendo na presidência da Operação Acesso Pago (IPL do MEC) e outros inquéritos da CINQ/CGRCR/DICOR/PF”, completa a nota.

Milton chegou a ser preso na Operação Acesso Pago da Polícia Federal, junto aos pastores Arilton Moura e Gilmar Santos, por ordem do juiz Renato Borelli, da 15ª Vara Federal de Brasília. No entanto, foi solto por decisão do ministro Ney Bello, do TRF-1. A defesa quer que ele impeça novas prisões e que os investigados possam responder em liberdade.


(55) 3375-8899, (55) 99118-5145, (55) 99119-9065

Entre em contato conosco

    Copyright 2017 ® Agora Já - Todos os direitos reservados
    error: Conteúdo protegido! Cópia proibida.