Em tempos de pandemia, vacina deve ser um bem público. - Agora Já -

Em tempos de pandemia, vacina deve ser um bem público.

Foto:
26 de novembro de 2020

      Todos estamos sofrendo com a pandemia. Sofremos pela perda de um ente querido, uma pessoa conhecida, pela perda do emprego, isolamento entre outras questões.

      A revista RADIS, edição 216, aborda a questão da vacina como bem público.  “Em pouco tempo, o mundo assistiu atônito milhões de pessoas infectadas e sistemas de saúde em colapso para enfrentar um vírus quase desconhecido, com alta capacidade de transmissão, difícil controle, variedade de sintomas e letalidade mais elevada do que a esperada. A covid 19, rapidamente, provocou estragos sistêmicos – na saúde, na economia, na educação, no modo de vida, nas relações interpessoais e no ir e vir das pessoas. Assustou e desafiou a comunidade científica. Os países acometidos pelo novo coronavírus que subestimaram sua capacidade de destruição pagaram alto preço, enterrando milhares de mortos”.

      Realmente foi isso que aconteceu. Não se imaginava a letalidade elevada da Covid 19, sem qualquer solução que não seja a vacina. Por isso, interessante o debate no momento de que a vacina seja reconhecida e receba a chancela de bem público, sem que as grandes corporações lucrem com a produção e venda da medicação.

      E segue a reportagem: “A expectativa é grande para milhões de pessoas em todo o mundo, mas etapas não podem ser suprimidas. Uma das grandes preocupações dos pesquisadores diz respeito principalmente ao acesso à vacina para países que enfrentam dificuldades econômicas. Entre tantos, quais serão os primeiros? Para além da segurança e eficácia esperada, é importante que esteja acessível a toda população, como bem público global, e que como tal não aprofunde a desigualdade social na saúde entre os povos”. Veja-se a importância de atribuir à vacina o caráter de bem público, garantindo-se o acesso para toda a população mundial, independente da condição econômica.

      Não é justo que os países desenvolvidos, embora sejam os que pesquisam e desenvolvem a vacina, sejam privilegiados no tratamento, pois perante Deus e as leis, todos somos iguais. Espero que a OMS e demais organismos envolvidos no tema, adotem a providência no sentido de garantir o caráter público da (s) vacina (s) que for (m) aprovada (s).

      A Organização Mundial do Comércio tem trabalhado no sentido de garantir – urgentemente – o acesso às vacinas, tratamentos e equipamentos que salvam vidas da Covid-19 para todas as pessoas no mundo. Diz ainda que “as patentes devem ser suspensas, o conhecimento tecnológico deve ser compartilhado de forma livre e aberta, e nenhum lucro deve ser permitido durante esta pandemia”.

      Somente assim teremos o fim da pandemia, pois de nada adianta erradicar em partes isoladas do mundo e não ter uma ação global, onde – especialmente – a vacina seja um bem público.

 

                                       CLAUDIO CICERO DE OLIVEIRA MOTTA

                                  Advogado e Vereador eleito em Panambi/RS


(55) 3375-8899, (55) 99118-5145, (55) 99119-9065

Entre em contato conosco

    Copyright 2017 ® Agora Já - Todos os direitos reservados
    error: Conteúdo protegido! Cópia proibida.