Governo deve propor auxílio emergencial de R$ 250 por quatro meses a partir de março - Agora Já -

Governo deve propor auxílio emergencial de R$ 250 por quatro meses a partir de março



Prorrogação depende de projeto a ser aprovado na Câmara e no Senado

Foto: Divulgação
26 de fevereiro de 2021

Em sua transmissão ao vivo nas redes sociais nesta quinta-feira (25), o presidente da República Jair Bolsonaro afirmou que deverá propor que o auxílio emergencial continue, nos próximos quatro meses, com o valor de R$ 250. A prorrogação depende de projeto a ser aprovado na Câmara dos Deputados e no Senado.

— Eu estive hoje (quinta) com o Paulo Guedes. A princípio, o que deve ser feito é R$ 250 de auxílio emergencial por quatro meses. Então é isso que está sendo disponibilizado — declarou o presidente.

A retomada do auxílio emergencial é defendida pelos presidentes da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL) e do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG). Nesta semana, foi levada ao Congresso uma proposta de emenda constitucional (PEC) que permite a desvinculação do Orçamento, com o objetivo de pagar esses valores. A desvinculação eliminaria o piso de investimentos em saúde e educação, por exemplo.

Rodrigo Pacheco admitiu a possibilidade de fatiar a proposta de emenda à Constituição (PEC) Emergencial e aprovar apenas a medida para destravar o auxílio emergencial, deixando os dispositivos de contenção de gastos para depois.

A votação da proposta, pautada para quinta-feira deve ser adiada para a próxima terça (2). A equipe econômica tenta barrar a pressão pelo fatiamento.

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), sinalizou que pode deixar de votar a proposta se os senadores aprovarem só o auxílio emergencial. A avaliação é que o restante da PEC, com as medidas de ajuste, vai “morrer” no Senado.

O movimento levou o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), a afirmar que a PEC não será fatiada. “Vamos votar uma PEC robusta, que traduza o compromisso com a sustentabilidade da dívida e a responsabilidade fiscal. Sem fatiamento”, escreveu Bezerra, no Twitter.

 

*Fonte: GaúchaZH


(55) 3375-8899, (55) 99118-5145, (55) 99119-9065

Entre em contato conosco

    Copyright 2017 ® Agora Já - Todos os direitos reservados
    error: Conteúdo protegido! Cópia proibida.