Nos pênaltis, Santos bate o Carlos Barbosa e é campeão da Liga Futsal - Agora Já -

Nos pênaltis, Santos bate o Carlos Barbosa e é campeão da Liga Futsal

22 de novembro de 2011

Agora quem dá a bola no futsal é o Santos. O glorioso Alvinegro Praiano é o primeiro clube paulista a sagrar-se campeão da Liga Futsal, o mais importante torneio nacional da modalidade. Depois de vencer o Carlos Barbosa por 3 a 2, no tempo normal, e empatar em 0 a 0 na prorrogação, o Peixe bateu o rival nos pênaltis por 7 a 6, conquistando a sua primeira Liga. Jogando na Arena Santos, o Peixe precisava vencer por qualquer placar para levar o jogo à prorrogação, já que fora derrotado no primeiro jogo em Carlos Barbosa (RS).

Extamente por isso, os donos da casa iniciaram a decisão sufocando o adversário, mesmo desfalcados do craque Falcão, suspenso. A primeira finalização ocorreu logo no primeiro minuto, em chute perigoso de Índio. Segundos depois, Valdin obrigou o goleiro Lavoisier a fazer duas defesas seguidas, dando uma prévia do que seria a partida. Aos cinco minutos, aconteceu o que estava se desenhando. Depois de cobrança de falta, Neto recebeu da intermediária e chutou rasteiro para marcar 1 a 0 para os donos da casa.

Mesmo em vantagem, o Santos seguiu pressionando. Aos sete minutos, a arbitragem paralisou o jogo por conta de uma confusão com um dos gandulas. Reiniciada a partida, Pixote fez boa jogada pela esquerda e chutou quase sem ângulo. Lavoisier tirou com os pés. O Carlos Barbosa só foi oferecer perigo pela primeira vez na partida, aos nove minutos, quando o ala Daniel chutou no ângulo, obrigando o goleiro santista Djony a fazer boa defesa.

Um minuto depois, o time gaúcho criou a sua melhor chance até então, quando Sinoê tocou livre, de dentro da área, mas Djony salvou. O Carlos Barbosa seguiu crescendo e, aos 12, Leandrinho arrancou sozinho, mas finalizou para fora.

Os minutos finais da primeira etapa foram de mais cautela por parte das duas equipes. Entretanto, a 54 segundos do fim, Jonathan arriscou da intermediária e a bola saiu rente à trave. Instantes depois, o Santos cometeu falha coletiva, que lhe custou a vitória no primeiro período. Depois de cobrança de escanteio, a bola bateu na cabeça de Pixote e subiu, indo em direção à área santista, onde Neto e Deives ficaram indecisos e Sinoê aproveitou para completar para a rede.

– Apesar da dificuldade nesse primeiro tempo, caprichamos no final e conseguimos ir para o intervalo com um resultado que nos dá o título. Agora é manter esse ritmo no segundo tempo e, se possível, buscar uma vitória – comentou Sinoê, ao SporTV.

– Demos espaço depois que fizemos 1 a 0, o que não podia ter acontecido. Agora é colocar o coração na ponta da chuteira e tentar imprimir a mesma pressão do início do jogo – disse Valdin, em entrevista ao SporTV.

O segundo tempo começou a todo vapor. Com um minuto e meio, Índio obrigou Lavoisier a fazer duas defesas espetaculares em um mesmo lance. Segundos depois, foi a vez de Valdin entrar na área e chutar forte para mais uma intervenção do camisa 1 do Carlos Barbosa.

Aos cinco minutos, Neto girou sobre dois marcadores e bateu para o gol. A bola passou rente à trave. Dois minutos depois, o Peixe chegou ao seu segundo gol. Após bonita jogada de Neto pela esquerda, a bola chegou a Pixote, que encheu o pé: 2 a 1.
O Carlos Barbosa não se entregou. Logo após a saída, Marcênio acertou a trave esquerda de Djony. Aos 13, Rodrigo soltou uma bomba e o goleiro santista espalmou para a lateral. De tanto insistir, o camisa 2 acabou marcando o segundo gol dos gaúchos, a sete minutos para o fim, em chute rasteiro da intermediária. Foi o 28º gol de Rodrigo na Liga Futsal.

Aos 15 minutos do segundo tempo, o técnico Fernando Ferretti lançou Pixote como goleiro-linha. A ousadia santista acabou premiada um minuto depois, quando Pixote chutou, Lavoisier deu rebote e Deives colocou o Peixe novamente em vantagem. Após o gol, foi a vez de o Carlos Barbosa atuar com goleiro-linha. O escolhido foi o ala Jonathan. Apesar da pressão do Carlos Barbosa, o Santos conseguiu manter os 3 a 2 até o apito final, levando a decisão à prorrogação.

Os times não se expuseram muito no tempo extra. Nos primeiros cinco minutos, apenas um chute de Bruno Souza e outro de Marcênio mereceram registro. Na etapa final, o Carlos Barbosa esteve perto de marcar, aos dois minutos, quando Marcênio fez boa jogada pela esquerda e chutou cruzado. Índio cortou um pouco antes de a bola chegar a Thiaguinho.

O Santos respondeu na jogada seguinte, com Valdin, em contra-ataque, onde Lavoisier fez mais uma defesa espetacular. A um minuto para o fim, Sinoê chutou da lateral, obrigando Djony a fazer difícil intervenção. As equipes ainda fizeram novas investidas, mas a prorrogação terminou mesmo com um 0 a 0.

Nos pênaltis, os técnicos escalaram os goleiros reservas Rennan (Carlos Barbosa) e Paulo Vítor (Santos) para defender. Na primeira série, Leandrinho e Índio desperdiçaram suas cobranças, indo para a série alternada após um empate em 4 a 4. Nas cobranças alternadas, Tostão chutou em cima de Paulo Vitor: 7 a 6 para o Santos. Festa no litoral paulista.

sportv.com


Rua Barão do Rio Branco, 1012, sala 205 - Centro - Panambi - RS (55) 3375-8899, (55) 99118-5145, (55) 99119-9065

Entre em contato conosco

Copyright 2017 ® Agora Já - Todos os direitos reservados