Polícia Federal do RS testa nova tecnologia de combate à lavagem de dinheiro - Agora Já -

Polícia Federal do RS testa nova tecnologia de combate à lavagem de dinheiro



Ferramenta pretende reduzir tempo de análise de cruzamento de dados bancários e fiscais

27 de setembro de 2019

A Polícia Federal (PF) do Rio Grande do Sul testou nesta semana um sistema do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) que pretende reduzir o tempo de análise de dados em investigações. A ferramenta DELOS foi desenvolvida pela Rede Nacional de Laboratórios de Tecnologia no Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro (REDE-LAB), que faz parte da pasta.

O superintendente da PF no Rio Grande do Sul, delegado Alexandre Isbarrola, destaca que tecnologias como essa ajudam a agilizar e qualificar o trabalho dos investigadores que se debruçam sobre informações obtidas através de quebras de sigilos bancário e fiscal.

— Esse serviço de análise desses dados pode levar de 15 até 30 dias, dependendo da quantidade de transações a serem analisadas para ver quais os cenários de destino e origem dos recursos que são movimentados. Com essa ferramenta, que ela já faz a análise e apresenta os resultados. Isso, às vezes, pode ser feito tudo no mesmo dia, ou em questão de horas — destaca.

Atualmente, são 60 laboratórios que fazem parte da REDE-LAB espalhados pelo Brasil e que ajudam órgãos públicos, como polícias civis e ministérios públicos dos Estados,  Controladoria-Geral da União (CGU), Tribunal de Contas da União (TCU), Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) e Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF) do Ministério da Economia, na análise de dados bancários, fiscais, entre outros.

— Isso serve para que a gente tenha um conjunto de tecnologias que sejam eficientes na análise de confrontos financeiros, quanto numa resposta mais rápida, célere e isenta de erros passíveis de ações humanas — explica o coordenador da Rede, César Medeiros Cupertino, que disse que a PF do RS foi escolhida por ser referência no combate a crimes financeiros no país.

O teste da nova tecnologia e treinamento dos servidores começou na segunda-feira (23) e terminou nesta sexta (27). O projeto piloto será testado em outras unidades da PF pelo país. Além de policiais federais, participaram dos testes servidores do Ministério Público Estadual do Rio Grande do Sul. Iniciativa semelhante, porém com outra solução tecnológica, está sendo implantada pelo MJSP em parceria com a Policia Civil gaúcha.

Origem no DF

A ferramenta DELOS foi desenvolvida pela Polícia Civil do Distrito Federal para processar, de maneira automatizada, dados de pessoas físicas e jurídicas investigadas, particularmente aqueles de origem bancária.

As rotinas existentes no software foram desenvolvidas para a otimização do tempo e dos recursos humanos e materiais empregados. Após os testes e treinamentos, o objetivo do MJSP é integrar essa nova tecnologia às demais que já são utilizadas para combate aos crimes de corrupção e de lavagem de dinheiro.

 

*Fonte: GaúchaZH / Foto: Divulgação PF


(55) 3375-8899, (55) 99118-5145, (55) 99119-9065

Entre em contato conosco

Copyright 2017 ® Agora Já - Todos os direitos reservados