Rio Grande renova decreto de calamidade pública por covid-19, mas não impõe restrições - Agora Já -

Rio Grande renova decreto de calamidade pública por covid-19, mas não impõe restrições



Prefeitura do município alerta que números de novos casos seguem elevados e aposta em vacinação para melhor cenário

Foto: Smith Collection
22 de novembro de 2021

Em meio a alta no número de casos e internações, o município de Rio Grande, no sul do Estado, se mantém por mais uma semana em estado de calamidade pública. O decreto, com validade até a próxima sexta-feira (26), não estabelece restrições ao funcionamento de atividades econômicas ou de circulação de pessoas.

Conforme a Secretaria de Saúde de Rio Grande, a cidade tem oscilado em um patamar de 300 a 400 novos casos de covid-19 por semana, neste mês. O número é considerado elevado, uma vez que Rio Grande chegou a contabilizar cerca de 50 novos casos semanais antes do último aumento no contágio.

— Estamos com um número semanal de novos casos ainda alto. Tem uma estabilidade, que a gente vem observando nas últimas duas ou três semanas. A gente chegou a ter 48 novos em uma semana, o que para um município do tamanho de Rio Grande era um bom número. Na última semana, chegamos a 400 novos casos. Agora, a estimativa está um pouco menor, em torno de 300 — afirmou a secretária municipal de Saúde, Zelionara Branco.

A ocupação dos leitos destinados a pacientes covid-19, de acordo com a secretária, tem oscilado entre 80% e 85%. Atualmente, Rio Grande conta com 10 leitos de UTI e 20 de internação clínica para pacientes com a doença. A secretária de Saúde de Rio Grande destaca que, graças às pessoas com esquema completo de imunização, não são piores os números de hospitalizados.

O decreto municipal de calamidade acompanha os protocolos estaduais que determinam que Rio Grande deve manter a exigência de passaporte vacinal para atividades de alto risco de contaminação. Apenas cidades com mais de 90% da população adulta com esquema vacinal completo pode flexibilizar a exigência de apresentação do comprovante de vacinação.

— O passaporte vacinal tem surtido efeito, sim. A gente tem percebido pessoas procurando se vacinar porque não vão poder acessar alguma atividade. Mas ainda é tímido. O passaporte vacinal poderia ter resposta melhor se fosse exigido para mais atividades — acrescenta Zelionara.

Rio Grande tem 79,2% da população com mais de 18 anos com esquema vacinal completo. Em relação ao total da população, 61,2% estão com esquema completo.

Para reduzir os índices de contaminação e internação, a prefeitura de Rio Grande aposta na ampliação da aplicação da segunda dose e da imunização de reforço.

— A gente está apostando na ampliação da cobertura vacinal. Ações que vão ser desencadeadas nesta semana, com unidades móveis em pontos estratégicos. E estamos intensificando a busca ativa — promete a secretária.

Atualmente, a aplicação da vacina contra a covid-19 acontece em todas as unidades de saúde de Rio Grande, das 8h30min às 11h30min. Em quatro delas, a vacinação também está disponível durante a tarde:

  • Sala extra do Cassino (antiga Rodoviária), das 8h30min às 15h
  • Posto IV – Canalete, das 8h30min às 18h
  • Posto da Hidráulica, das 8h30min às 11h30min e das 13h às 16h
  • Parque Marinha: dose 1 e dose 2, das 8h30min às 12h e das 13h às 16h

 

*Fonte: GaúchaZH


(55) 3375-8899, (55) 99118-5145, (55) 99119-9065

Entre em contato conosco

    Copyright 2017 ® Agora Já - Todos os direitos reservados
    error: Conteúdo protegido! Cópia proibida.