RS tem tendência de queda em ocupação de UTIs e casos de infecção por Covid-19 - Agora Já -

RS tem tendência de queda em ocupação de UTIs e casos de infecção por Covid-19



Epidemiologista alertou que mesmo com redução da contaminação, há risco de novas ondas

Foto: Ricardo Giusti
21 de abril de 2021

O mês de março foi o mais complicado da pandemia no Rio Grande do Sul. Tanto do ponto de vista da letalidade e da disseminação do coronavírus, quanto da capacidade do sistema hospitalar. A maioria das Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) do Estado operava com lotação acima de 100% no mês passado. Porém, de acordo com o epidemiologista e gerente de risco do Hospital de Clínicas de Porto Alegre e professor de Epidemiologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs), Ricardo Kuchenbecker, há tendência de queda dos casos de infecção no Estado desde o final de março e início de abril, assim como há redução, em relação a leitos de internação e leitos de terapia intensiva, nas últimas três semanas.

“Por ora, é possível dizer que há tendência de queda em função das sucessivas bandeiras pretas praticadas ao longo das últimas cinco semanas, mas esta estabilização ainda ocorre em patamar muito elevado seja de casos novos, de internações, de uso de leitos críticos e óbitos”, destacou.

Conforme Kuchenbecker, há uma redução, mas ainda em vigência de patamar muito elevado, o que pode gerar novas elevações em poucos dias. “Isto significa sim risco de novas ondas, sobretudo de considerarmos o papel das infecções pela variante P1, que gera mais infecções e infecções com maior quantidade de vírus para cada infecção, provável razão do aumento exponencial de internações em enfermarias e em leitos de UTI desde fevereiro”, explicou.

Ocupação nesta quarta 

No Rio Grande do Sul, a taxa de ocupação das UTIs era de 86,8% na tarde desta quarta-feira. Dos 3.383 leitos disponíveis, 2.933 estavam ocupados. O número de internações relacionadas à Covid-19 representavam 77,63% do total. Deste total, 1.956 pacientes tinham diagnóstico positivo da Covid-19 e outros 108 aguardavam os resultados dos exames para confirmar ou não a presença da doença. Dessa forma, as internações relacionadas ao novo coronavírus representavam 74,22% do total de pacientes em UTIs em todo o território gaúcho.

A taxa de ocupação das UTIs em Porto Alegre, na tarde de hoje, era de 92,90%. Dos 916 pacientes que estavam internados em UTIs da Capital, 578 tinham diagnóstico positivo da Covid-19 e outros 17 eram considerados suspeitos. Além disso, pelo menos 86 pacientes estavam nas emergências hospitalares aguardando por vagas nas UTIs, sendo 66 pessoas com o novo coronavírus.

Os hospitais da Capital ainda estavam prestando assistência com ventilação mecânica fora das UTIs a pelo menos 103 pacientes. Dos 18 hospitais monitorados pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), pelo menos sete operam com lotação igual ou superior a 100%. Uma das situações mais críticas era observada no Hospital Porto Alegre, onde estavam internados 24 pacientes em uma UTI que contava com 20 leitos, ou seja, 150% de ocupação.

No Hospital Moinhos de Vento, a UTI registrava ocupação de 125,76% e contabilizava 83 pacientes em um espaço de 66 leitos. Os hospitais que atendiam o maior número de pacientes nas UTIs ou nas emergências com Covid-19 na tarde de ontem eram, respectivamente: Hospital de Clínicas (113 confirmados e três suspeitos), Hospital Nossa Senhora da Conceição (96 confirmados) e Santa Casa de Misericórdia (79 confirmados e cinco suspeitos).

 

*Fonte: Correio do Povo


(55) 3375-8899, (55) 99118-5145, (55) 99119-9065

Entre em contato conosco

    Copyright 2017 ® Agora Já - Todos os direitos reservados
    error: Conteúdo protegido! Cópia proibida.