Vacinas da Janssen serão distribuídas aos municípios do RS conforme demanda, diz Secretaria da Saúde - Agora Já -

Vacinas da Janssen serão distribuídas aos municípios do RS conforme demanda, diz Secretaria da Saúde



Decisão, tomada em reunião da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), também valerá para os demais imunizantes

Foto: Dado Ruvic/Reuters
8 de dezembro de 2021

As 132,8 mil vacinas Janssen enviadas pelo Ministério da Saúde e recebidas no início da tarde desta quarta-feira (8) pelo Rio Grande do Sul serão distribuídas aos municípios que já receberam doses anteriormente, segundo a Secretaria Estadual de Saúde (SES). Os imunizantes devem ser usados na aplicação de reforço. A decisão foi tomada em reunião da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), vinculada à Secretaria da Saúde.

A orientação do Ministério da Saúde é de que quem tomou a vacina em dose única receba o reforço da Janssen em um intervalo mínimo de dois meses e máximo de seis meses.

Ainda conforme a SES, a partir desta semana, também a distribuição das demais vacinas contra a covid-19 será feita por demanda. As coordenadorias regionais de saúde (CRS) vão verificar a cada semana, nos municípios, o andamento das aplicações. O envio será feito conforme os pedidos, reduzindo a possibilidade de que os imunizantes percam a validade. Isso ocorre, segundo a pasta, diante do avanço da imunização da população do Estado.

Além das vacinas da Janssen, 134.550 doses da Pfizer chegaram no mesmo voo desta quarta (8) e ficarão reservadas na Central Estadual de Armazenamento e Distribuição de Imunobiológicos (Ceadi). Recentemente, o Estado recebeu remessa de 562.770 vacinas do mesmo laboratório. Somadas à reserva estratégica da Secretaria da Saúde, de 74.676 doses, são 637.446 doses que serão usadas para completar a vacinação dos adolescentes e também na da dose de reforço entre a população adulta. Outras 14.750 doses da Astrazeneca, também recebidas do Ministério da Saúde, serão dirigidas à saúde de população indígena.

— Como teremos vacinas distribuídas de acordo com pedidos, não há nenhum risco de faltar vacinas. Pelo contrário: os municípios têm de ficar mais atentos para não deixar insumos sem o pedido. O controle sai um pouco da distribuição automática e dependerá da organização local. O Estado está mudando a distribuição para garantir que a tenhamos os insumos bem utilizados — disse a secretária adjunta da Saúde, Ana Costa.

 

*Fonte: GZH


(55) 3375-8899, (55) 99118-5145, (55) 99119-9065

Entre em contato conosco

    Copyright 2017 ® Agora Já - Todos os direitos reservados
    error: Conteúdo protegido! Cópia proibida.